Campo de Jovens 2017 in Tamera

“Juventude em comunidade” - Unleash your potential - Ativismo Sagrado

De 31 de Julho a 13 de agosto, 33 adolescentes de sete países diferentes encontraram-se em Tamera para em conjunto se debruçarem sobre a seguinte questão: é possível acreditar que podemos mudar positivamente algo neste planeta e, se sim, como? 

O nosso trabalho começou com um olhar aprofundado sobre o trabalho de Tamera – porque razão tiveram os fundadores de Tamera o impulso de criar um modelo para uma cultura pacífica e, como é que esta se parece nos dias de hoje? Esta foi a nossa questão de partida. Ouvimos o discurso bastante comovente de Tokata Iron Eyes, uma ativista de 13 anos da reserva de Standing Rock, que nos falou sobre a história de Standing Rock, as suas circunstâncias de vida e o seu ativismo. 

Continuámos com a seguinte questão: se isto é o que se está a passar no mundo, como o podemos mudar? Conseguiremos mudar a realidade com os nossos pensamentos ou com informação e, se sim, como? 

Paralelamente, criámos espaços de confiança, especialmente através do Fórum, onde os adolescentes se podiam ver e compreender entre si a um nível muito mais verdadeiro do que o que normalmente experienciamos no nosso dia-a-dia. Numa viagem de três dias na Natureza, com noites onde dormimos sob a estrelas, exercícios comuns para ultrapassar os próprios medos e onde nos guiámos mutuamente de olhos vendados, mergulhámos ainda mais profundamente no tópico da criação de comunidade e confiança entre os membros do grupo. Através de rondas masculinas e femininas, ficámos a conhecer-nos cada vez melhor. 

Na segunda semana do nosso evento, teve início o Ativismo Sagrado, onde se reuniram vários agentes para a paz e ativistas do mundo inteiro para partilharem e discutirem o seu trabalho e as possibilidades que temos para agir no sentido de proteger o futuro do nosso planeta. Um dos focos principais eram as pessoas ligadas ao Standing Rock, os precursores do movimento. Falaram poderosamente acerca da reconciliação entre o mundo ocidental e o povo da primeira nação da América e ainda, numa possível cooperação para a defesa do nosso planeta. 

O ponto alto da segunda semana foi a ação que fizemos em conjunto com o ativista ambiental e artista de arte aérea, John Quickly, na praia de Odeceixe, para pôr termo à perfuração da nossa Costa Portuguesa, já prevista. Com mais de 1000 pessoas formámos um golfinho e a mensagem: “Não ao Furo, Sim ao Futuro – Defend the Sacred”. Foi um dia muito forte para nós e para os adolescentes pois pudemos fazer parte de algo que passa uma mensagem bastante significativa e relevante para o mundo. 

No final do campo de jovens, aos adolescentes foi pedido que escrevessem sobre o que aprenderam e experienciaram durante o tempo que passaram juntos. Criaram textos e poemas lindíssimos que foram apresentados no nosso centro cultural diante dos convidados do evento de verão. Numa espécie de poetry slam com música e rap, mostraram corajosamente os seus pensamentos e questões. Foi um final poderoso para o campo de jovens.

Obrigado por este tempo cheio de vida, grandes reflexões e amizade.  

Obrigado e vemo-nos para o próximo ano, 

A equipa do campo de jovens,

Eiko, Corinna, Simon e Nora