Um dia de magia - construindo tambores no Jardim de Infância

 

O primeiro som que todos vivenciámos, ainda por nascer na barriga da mãe, foi o bater do seu coração. O seu batimento rítmico constante e a sua vibração, acompanham-nos a todos desde o primeiro momento da nossa existência. "Mãe, sinto-te debaixo dos meus pés, Mãe, eu escuto o bater do teu coração ..." tornou-se uma das canções preferidas no Jardim de Infância de Tamera, enquanto as oito crianças tocam agora os seus próprios tambores.

Ao longo de duas semanas, o primeiro projeto comum de artesanato, a criação e decoração da sua própria baqueta, aumentou a expectativa relativamente à chegada de um dia especial, no qual iriam construir o seu próprio tambor, com apoio do Marió, construtor de tambores, e os professores do jardim de infância. A intenção é a de catalisar os poderes criativos do grupo ao serviço da música e dos espaços cósmicos que as crianças tanto amam. Com uma entrada cerimonial das crianças, desenrolou-se um dia de magia.

O processo de fazer um tambor é como o nascimento de um novo ser. A escolha das suas diferentes partes, do aro, a escolha das cartas de medicina e a ligação com animais espirituais, até ao encharcamento da pele, para que possa amolecer. Olhamos juntos para a pele de cabra seca e reflectimos "De onde vem? Qual é o animal? Que sons faz a cabra?" Questões de morte e abate, consumo de animais e produtos de origem animal, caça de animais selvagens, estão de súbito presentes neste círculo, com crianças desde os dois anos e meio aos quatro anos e meio de idade. Uma criança recebe um tambor coberto com tecido de linho, como alternativa à pele de animal. Todos expressam uma alegre e profunda gratidão à Mãe Terra por nos sustentar, às florestas e árvores pela proveniência da borda do tambor, ao mundo das plantas pela corda que assegura a sua integridade e ao espírito da cabra pela pele. Colocar a pele na borda é o último estágio, criando uma teia a partir de alguns metros de corda, na parte de trás do tambor. A excitação e concentração estão estampadas no rosto iluminado de todos.

No final do dia, há dois círculos, um com crianças e professores e outro com os novos tambores. Nos próximos meses vamos aprender a usá-los bem e a cantar. A intenção dos tambores é a de manter uma ligação aberta e não corrompida com a grande mãe, a Mãe Terra. Todas as crianças transportam esta ligação pura, e naturalmente adoram reproduzir nos tambores o batimento do coração.